shadow
Diocese de Dili > NOTÍCIAS > OPINIÃO > MOÇÃO CENSURA BA VII GOVERNO LADAUK RELEVANTE TUIR CRDTL

MOÇÃO CENSURA BA VII GOVERNO LADAUK RELEVANTE TUIR CRDTL

INTERPRETAÇÃO NO APLICAÇÃO ART. 111.º CRDTL

Dr. Pe. Júlio Crispim

(Jurista no Académico)


 

INTRODUÇÃO

              Eleição Geral 2017 liu tiha, husi nia resultado, hamosu partido mais votado 1 (ida) no partido menos votado 4 (hat), mak utrapassa barreira eleitoral 4%, tuir lei eleitoral nian, hodi hetan deputado 65 husi bancada 5 (lima) ba tuir iha PN, tuir dalan CRDTL nian. Husi partdo 5 nee, mas que iha partido mais votado no partdo menos votado,  maibe la iha partido ida mak manan ho maioria ABSOLUTA, hotu-hotu manan deit ho maioria SIMPLES.

               Mas que, la iha partido ida mak manan ho maioria absoluta, katak hotu-hotu manan deit ho maioria simples, desde que halo ona abertura solene ba primeira sessão legislativa ba IV legislatura, PR bele hahu convoca partido sira refere, atu rona sira, ba halo Aliança Partido sira hodi hetan Maioria Parlamentar ba indigita PM no hahu forma Governo. Iha ikus, VII Governo formado duni, mas que la ho maioria parlamentar, nunee la garante estabilidade governativa, consequentemente, programa governo hetan rejeição ona ba primeira vez iha PN, ho possibilidade boot atu hetan rejeição tan segunada vez. Enquanto re-elaboração em processo hela no ladauk halo reapresentação ba PN, praso loron 30 ultrapassado ona, hodi hetan tan reapreciação, oposição maioria parlamentar sira apresenta dadaun ba PN moção censura ida contra VII governo.

 

1. MOÇÃO CENSURA

              Moção censura nee, regra sancionátorio (ka castigo) ida ba execução programa governo nian ka ba assunto interrese nacional relevante nebe ordem constitucional timorense preve atu um quarto (1/4) deputado sira iha efectiva função bele hola iniciativa apresenta ba PN sira nia acusação no condenação ba governo kona ba nia vontade no progresso execução programa nian no nia sériedade atenção ba interesse nacional relevante.

               Iha CRDTL, moção censura nee, enquadra iha instituto jurídico “formação no responsabilidade governo”. Em concreto, consagra duni iha norma sira kona ba “moção censura”  iha art. 111º CRDTL, nebe dehan, (1) “PN bele vota moção censura sira ba Governo kona ba ninia execução programa ka assunto interesse nacional relevante, husi iniciativa um quarto deputado nian iha efecitividade função”; (2) “karik moção censura la aprovado, nia assinante sira labele apresenta tan seluk durante sessão legislativa hanesan”. Além de nee, moção censura mos consagra iha art. 112.º n.º 1 (f) CRDTL, nebe dehan “aprovação moção censura ida ho maioria absoluta husi deputado sira iha efectividade função, implica demissão Governo”. Nunee mos consagra iha art. 91.º  n.º1 (b) CRDTL nebe dehan, “compete ba Conselho Estado pronuncia kona ba demissão Governo”.

              Iha norma constitucional art. 111º CRDTL, entre outros, bele hetan hanoin hat, (1) iha “PN bele vota moção censura sira ba Governo kona ba ninia execução programa”; (2) iha “PN bele vota moção censura sira ba assunto interesse nacional relevante”; (3) iha “moção censura sira nee bele apresenta ba PN husi iniciativa um quarto deputado nian nebe iha efecitividade função”; no (4) iha “moção censura sira nee karik la aprovado iha PN nia assinante sira labele apresenta tan seluk durante sessãao legislativa hanesan”.

              Husi hanoin hat nee, moção censura nee nudar sanção ida ba execução programa governo nian, nebe ita hetan uluk nanain iha hanoin primeiro, nebe iha nia relação categórica ho hanoin terceiro no mos iha nia relação hipotética ho hanoin quarto, hodi admite um quanto deputado iha efectiva função bele apresenta ba PN moção censura kona ba execução programa governo nian. Nunee mos, moção censura husi PN ba assunto interesse nacional relevante ruma nebe hetan iha hanoin segundo.

             Norma constitucional nee, hatudu momos katak moção censura nee halo ba execução programa governo nian, husi iniciativa um quarto (1/4) deputado apresentado ba PN, wainhira deputado sira ba haloo nia poder fiscalização (art. 92.º CRDTL) ba execução programa governo nian no hetan katak programa nia execução nee la lao didiak no la lao lolos tuir nia apreciação iha PN. Portanto, iha norma nee, dehan um quarto (1/4) deputado, nunee la refere exclusivamente ba deputado husi bancada oposição mak bele apresenta moção censura, maibe bele refere mos ba deputado partido ka deputado aliança partido sira nebe fo apoio ba formação governo nian bele mos apresenta moção censura.

              Moção censura, nebe preenche critério legal-constitucional nee, mak apresenta husi um quarto (1/4) deputado ba PN kona ba execução programa governo ka kona ba interesse nacional relevante.

               Primeiro, em relação ho interesse nacional relevante, uluk nanain bele dehan katak nee conceito indeterminado ida nebe bele hetan ninia determinação, liu deit husi relação analogia (interpretação sistematica) ho conceito interesse nacional estabelecido iha instituto jurídico seluk iha CRDTL, hanesan estabelecido iha instituto jurídico kona ba princípio geral relaciona ho organização poder politico, nebe consagra norma sira kona ba referendo nian. Iha regra referendo nian (art. 66.º n.º 1 no n.º 3 CRDTL), ita hetan mos conceito interesse nacional relevante, nebe bele destingue entre interesse nacional nudar matéria nebe tama ba competência exclusiva ba PN, Governo no Tribunal tuir CRDTL, no interesse nacional nudar matéria nebe la tama ba competência exclusiva orgão sira refere. Husi nee, ita bele entende katak matéria kona ba programa governo nian no mos OGE no OGER nee tama ba competência exclusiva Governo no PN nian, nunee labele hatama ba conceito interesse nacional relevante hodi justifica deputado sira bele apresenta ba PN moção censura ida hasoru Governo.

              Segundo, em relação execução programa governo, laos elabaração (Governo) no apreciação (PN) progama governo,  bele dehan katak, wainhira governo executa ona nia programa nebe hetan ona  nia apreciação husi PN, mak nia execução la lao didiak no la lao lolos, detectada husi deputado sira wainhira ba haloo nia poder fiscalização (art. 92.º CRDTL) ba execução programa governo nian,  mak um quarto deputado sira bele apresenta moção censura ba PN hasoru execução programa governo nian. Laos, programa governo ladauk hetan apreciação, OGE ladauk hetan aprovação no programa governo ladauk hahu nia execução, mak um quarto deputado apresenta uluk ona moção censura nee, mas que ho razão interesse nacional (ladauk relevante) mos, bele dehan la tuir exigência constitucional, tanba moção nee atu halo censura los ba saida, ladauk iha objecto nebe bele hetan censura, nunee ladauk bele acusa no condena execução programa governo tuir exigência constitucional nee.

              Consequência husi apresentação moção censura iha rua, mak: (1) moção censura lapaasa iha PN (nee impossível, tanba oposição maioria), katak maioria absoluta husi deputado sira iha efectiva função vota contra moção censura ba execução programa governo, ho nee PN considera governo executa nia programa ho didiak no lolos hela, consequentemente, governo continua executa nia programa sira, (pergunta, programa ida nebe?); (2) moção censura passa iha PN, katak maioria absoluta husi deputado sira iha efectiva função vota favorável ba moção censura, ho nee PN considera governo la executa didiak no lolos nia programa sira nebe aprovado ona iha PN, consequentemente, governo labele continua executa nia programa sira (pergunta, programa ida neebe?),  no causa kedas demissão ba PM no nia governo (art. 112.º n.º 1 (f) CRDTL).

              Kona ba nee, PR só bele demite  PM, wainhira hatudu necessário tebes ba assegura normal funcionamento instituição democrática sira (art. 112.º n.º 2 CRDTL). Mak PR conclui katak iha duni necessidade ida nee, então PR bele demite PM, maibe PR tem que lori lai ba Conselho Estado (CE) hodi bele tetu no sukat iha CE, nunee CE bele pronuncia demissão Governo tuir nia competência (art. 91.º n.º 1 (b) CRDTL). Demite tiha Governo, PR sei convoca fali partido sira PN, tuir art. 106.º  n.º 1, 1.ª parte,  atu bele (tuir resultado EP 2007 tem que funciona 2.ª hipótese kona ba Aliança Partido atu hetan MP, la exclui partido mais votado) hahu processo forma Governo foun, mak iha loron 60 nia laran, la consegue hetan consenso entre ruma husi partido sira iha PN, mak considerado nudar grave crise institucional, PR bele dissolve PN (art. 86.º (f) CRDTL), hakat ba Eleição Anticipada (EP), nudar último ratio, mas que ho risco oi-oin, nee mak dalan democracia nian.

              Conclui, katak moção censura, apresenta husi um quarto (1/4) husi deputado sira iha efectiva função ba PN, tem que ho objectivo ba halo censura execução programa governo (enquanto la justifica interesse nacional relevante nudar objectivo ba moção censura), maibe Governo ladauk  halo execução ba nia programa (tanba programa Governo ladauk iha apreciação no nia OGE ladauk iha aprovação), PN labele julga no condena uluk ho sanção moção censura nian. Tanba nee, hau dehan MOÇÃO CENSURA BA VII GOVERNO LADAUK RELEVANTE TUIR CRDTL.  Dalan diak liu no los liu ba PN, (iha momento elaboração no apreciação programa governo ba dala rua, mas que ladauk apresenta, nia prazo liu ona loron 30), mak foti sanção ba Governo liu husi REJEIÇÃO PROGRAMA GOVERNO nian.     

 

2. MOÇÃO REJEIÇÃO

             Moção rejeição nee, regra sancionatória (ka castigo) ida ba apreciação programa governo nian (formal ka substancial) nebe ordem constitucional timorense preve atu qualquer bancada parlamentar bele husu ba PN iha nia loron ikus atu bele julga no condena governo kona ba nia programa sira nebe la preenche critério legal-constitucional sira.

              Iha CRDTL, moção rejeição nee, enquadra iha instituto jurídico “formação no responsabilidade governo”. Em concreto consagra iha norma sira kona ba “apreciação programa governo”, nebe dehan “debate ba programa governo labele exede loron lima no too nia enceramento qualquer bancada parlamentar bele husu nia rejeição ka Governo bele solicita voto confiança ida” (art. 109.º, n.º 2 CRDTL). Iha norma constitucional nee, bele hetan hanoin tolu, (1) iha “debate ba programa governo la bele exede loron lima”; (2) iha “debate ba programa governo too nia enceramento qualquer bancada parlamentar bele husu nia rejeição”; no (3) iha “debate ba programa governo too nia enceramento Governo bele solicita voto confiança ida”. Husi hanoin tolu nee, moção rejeição, ita hetan iha hanoin segundo, nebe admite qualquer bancada parlamentar bele husu rejeição ba programa governo iha loron enceramento debate nian.

              Norma constitucional nee, hatudu momos katak ba programa governo nee, qualquer bancada parlamentar mak bele husu nia rejeição. Portanto, iha norma nee, dehan qualquer bancada parlamentar, nunee la refere exclusivamente ba bancada oposição mak husu nia rejeição, maibe bele refere mos ba bancada partido ka bancada aliança partido sira nebe fo apoio ba formação governo nian mos bele husu nia rejeição.

              Rejeição ba programa governo, qualquer bancada parlamentar, bele husu iha primeira apreciação no bele mos husu iha segunda apreciação, katak bele husu dala rua tutuir malu (art. 109.º n.º 2 in fine conjugado ho art. 112.º n.º 1 (d) CRDTL). Wainhira, qualquer bancada parlamentar husu rejeição ba programa governo, atu rejeição nee bele passa iha PN, exige voto favorável ho maioria absoluta husi deputado sira nebe iha efectiva função (art. 109.º n.º 3 CRDTL).

              Consequência husi rejeição ba programa governo, mak, (1) programa governo la passa iha primeira vez implica reelaboração programa governo, reaprovação iha CM,  reparesentação ba PN no reapreciação iha PN tuir regimento PN nian; (2) programa gorverno la passa iha segunda vez nee implica demissão governo (art. 112.º n.º 1 (d) CRDTL). Molok, PR demite PM, PR sei rona tiha lai Conselho Estado (CE) hodi bele tetu no sukat mos kona ba normal funcionamento instituição democrática sira (art. 112.º n.º 2 CRDTL).

              Caso iha duni demissão governo, PR só bele demite PM, katak demite mos governo, PR rona tiha lai CE (art. 112.º n.º 2 in fine CRDTL), depois CE mak sei pronuncia demissão governo nee tuir nia competência constitucional (art. 91.º n.º 1 (b) CRDTL).

               Demite tiha Governo, PR sei convoca fali partido sira PN, tuir art. 106.º  n.º 1, 1.ª parte,  atu bele (tuir resultado EP 2007 tem que funciona 2.ª hipótese kona ba Aliança Partido atu hetan MP, la exclui partido mais votado) hahu processo forma Governo foun, mak iha loron 60 nia laran, la consegue hetan consenso ruma entre partdo sira iha PN, mak considerado nudar grave crise institucional, PR bele dissolve PN (art. 86.º (f) CRDTL), hakat ba Eleição Anticipada (EP), nudar último ratiom mas que ho risco oi-oin, nee mak dalan democracia nian.

 

CONCLUSÃO

            Ba ita nia situação actual, PN ladauk precisa usa moção censura ba VII governo, maibe PN bele usa deit mak moção rejeição ba programa governo, katak PN hein deit apresentação programa governo ba PN atu hetan apreciação no bele expressa sira nia aceitação ka rejeitação iha loron enceramento debate nian. Mak PM la apresenta programa governo ba PN, tuir nia praso, hatudu katak PM la iha interesse ba programa governo (maibe tem que tetu no sukat mos razão sira apresenta husi Governo), PM tem que apresenta nia pedido demissão ba PR (art. 112.º n.º (b) CRDTL), nunee PR rona tiha CE, bele tetu no sukat ho normal funcionamento instituição democrática sira (art. 112.º n.º 2 CRDTL), CE bele pronuncia demissão governo nee tuir nia competência constitucional (art. 91.º n.º 1 (b) CRDTL).

            Ikus liu, kona ba competência atu apresenta rejeição ba programa governo nian mak bancada parlamentar sira, laos bloku OMP no, kona ba competência atu apresenta moção censura ba execução programa governo nian mak deputado sira (iniciativa husi um quarto deputado iha efectiva função) laos mos bloku OMP. Karik bloku OMP mak apresenta sanção constitucional rua nee, ba PN no PN simu no lori ba plenária no deputado maioria absoluta fo tan voto favorável ka contra, hatudu katak PN la funciona ona tuir requesito sira constitucional nian no la tuir ona requesito sira estipulado iha nia regimento rasik.

 

Dr. Pe. Júlio Crispim Ximenes Belo

Clero Diocesano Diocese Baucau;

Aktivista RENETIL no Aktivista FRENTE KLANDESTINA;

Alumni Escola Superior Filosofia no Teologia Ledalero – Indonesia;

Alumni Faculdade de Direito da Universidade de Macau – China;

Aktual docente Intituto Superior Filosofia e Teologia Fatumeta – Dili;

Aktual docente Faculdade Direito UNTL – Dili.

OBRIGADU WAIN

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *