Seminário Maior Interdiocesano de São Pedro e São Paulo

SEMINÁRIO MAIOR INTERDIOCESANO DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO, FATUMETA.

A HISTÓRIA

O Seminário Maior Interdiocesano de São Pedro e São Paulo foi ereto canônicamente por Dom. Carlos Ximenes Belo, SDB à época Administrador Apostólico da Diocese de Dili, aos dez dias do mês de Julho do ano dois mil (10/07/2000) como se pode verificar no decreto n0 4/2000, da sua ereção Canónica. Situa-se na Rua Fatumeta, Dili Timor Leste.

O seu nascimento foi suscitado pela necessidade sentida a nível da Igreja timorense, que via florecer circunstancialismos sociais, políticos e religiosos, no jovem país que iniciava os primeiros passo e que exigiam também mudança estrutural na formação a nível da Igreja local. A formação dos candidatos ao sacerdócio era então feita em países estrangeiros como: Macau e Portugal no tempo da ocupação Portuguesa, e posterioramente durante a ocupação Indonésia no Seminários de Flores, Malang e Kupang. Esta formação feita no exterior, se por um lado, abria novos horizontes, no campo formativo e intelectual dos formandos, propocionando-lhes esperência de deferentes culturas, por outro lado dificultava também a integração na realidade local Timor Leste. Olhanddo a esta realidade e, tendo em conta que, a nação caminhava agora independente em direção a um futuro promissor, os Bospos das duas Dioceses então existentes: D. Carlos Filipe Ximenes Belo, SDB da Diocese de Dili e D. Basilio do Nascimento da Diocese de Baucau, decidiram unir esforços e iniciar esta obra que hoje completa 15 anos de existência.

 

FORMAÇÃO

A formação Presbiteral hoje, procura assegurar uma base humana sólida à formação espiritual, e desemvolver a inteligência da Fé, o uso de uma liberdade iluminada da caridade de Cristo, o espírito de iniciativa, a abertura aos problemas da vida do mundo de hoje e à formação cívica e social

As reflexões que tentamos elaborar nestas diretrizes, dão atenção, de modo particular, ao Sacerdote Diocesano, à sua preparação pedagógica para a vida como pastor e  ao ministério presbiteral no mundo. As disposições contidas na Ratio Seminariorum nortearão nos princípios eas acões do processo formativo baseado nos documentos do magistério da Igreja sobre a formção dos candidatos ao sacerdócio, de modo especial à exortação apostólica post-sinodal de João paulo II, Pastores Davo Vobis.

Apresentamos as quatros dimensões da formação, partido da fundamentação teórica, os objectivos, as suas metas e estratégias para o uso interno do Seminário Propedêutico São João Mari Vianney e Seminário Maior Inter-diocesano de São Pedro e São Paulo Fatumeta Dili Timor Leste. Fazemos votos de que pelos méritos de São João Maria Vianney, são Pedro e São Paulo e, Jesus Cristo presente na figura do próximo e na Eucaristia, comfigure todos os vocacionados à sua imagem.

O intuito maior é preparar homens que sejam servidores dos Irmãos e Irmãs, e estejam presente no mundo como sinal do amor misericordioso de Deus, que deseja uma sociadade mais justa, fraterna e solidária, tranformada pela alegria do Evangelho como insiste o Papa Francisco.

 

SEMINÁRIO MAIOR INTER-DIOCESANO DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO

 

ANO DE FILOSOFIA

OBJECTIVO GERAL

Possibilitar uma maior conciência do chamado mediante uma comfiguração mais estreita com Jesus cristo servidor.

METAS

  • Fomentar o espírito de sacrifício e a renúncia;
  • Compreender e viver a espiritualidade como elemento priorotário e motivador para integrar todo      o conjunto da vida;
  • Cultivar uma experiência de oração como alicerce da vida Cristã;
  • Manifestar um forte desejo de doação total e incondicional a Cristã e ao Reino;
  • Adquerir o senso de pertença à Igreja;
  • Participa na Eucaristia com profundidade, sentido-se cristificado por ela;
  • Cultivar uma espiritualidade fundamentada na Bíblia por meio da Lectio Divina e da vivência      quotidiana da palavra;
  • Internalizar os conselho Evangélicos: conciência clara para assumir libremente os celibato;
  • Respeitar as Autoridades da Igreja como espírito de fé, vendo nelas um sinal vivo da unidade      eclesial;
  • Amor ao próximo, vendo em cada pessoa o rosto de Jesus;
  • Valorizar e acolher a riqueza das diferentes correntes da espiritualidade católica;
  • Harmonizar fé e razão, espiritualidade e filosofia;
  • Consolidar a Devoção Mariana, tendo Maria como sacrário vivo.

ESTRATEGIAS

  • Programa pessoal de vida espiritual;
  • Celebração da Liturgias da Horas e dos Sacramento da Reconciliação e da Eucaristia diária;
  • Releitura da Introdução geral da Liturgia das Horas;
  • Leitura Orante da Palavra de Deus;
  • Leitura dos Santo Padre;
  • Leitura Espirituais com acopanhamento do orientador/Director Espiritual;
  • Partilha de testemunhos vocacionais;
  • Leitura de Livros que ajudem a fazer aponte entre fé e razão;
  • Valorizar o esquema Bíblico do ano Litúrgico mediante o estudo da Bíblia, dando destaque      especial ao Livro do salmos;
  • Leitura de Documentos e texto sobre o celibato e estrutura da sexulaidade humana;
  • Contacto frequente com o Bispo e o presbitério;
  • Retiro Esprituais: mensais e anual;
  • Direção Espiritual mensal;
  • Adoração Eucarística aos domingos e (quinta-feiras);
  • Terço Mariano.

 

ANO DE TEOLOGIA

OBJECTIVO GERAL

Promover nos formandos o espírito de autoação, desemvolvendo a espiritualidade da caridade pastoral em vista da missão Sacerdotal.

 

METAS

  • Consolidar uma profunda experiência de comfiguração a Cristo Bom Pastor;
  • Consolidar uma vida de busca permanente de santidade, principalmente através dos Sacramentos      da Eucaristia e da Penitência;
  • Internalizar o valor da orientação Espiritual como elemento permanente do processo de      amadurecimento espiritual e da vida Sacerdotal;
  • Manifestar pelo Testemunho de vida o amor pela palavra de Deus;
  • Valorizar e vivenciar a mística do ministérios do Leitorado e Acolitado;
  • Fazer uma experiência de alinça esponsal com Cristo;
  • Aspiral a paternidade Espiritual no contexto pastoral;
  • Viver o celibato com dom, provilégio e opção definitiva;
  • Desemvolver as condições de viver uma vida pobre, desapegada;
  • Consolidar a Liturgias das Horas como valor;
  • Formar o Presbítero para ser o homem de Deus, mediador entre Deus e os homens através o      Liturgia oficial da Igreja;
  • Acolher assiduamente a palavra de Deus, por meio de leitura reflectiva, meditação diária e orante      da Sagrada Escritura (Lectio Divina) e da partilha;
  • Ter Maria como modelo do seguimento de Cristo.

 

ESTRATÉGIAS

  • Projecto pessoal de Vida Espiritual;
  • Acompanhamento Espiritual com Sacerdotes devidamente aprovados pelos Bispos para exercer      esse ministério; Retiro Espiritual; Mensal e anual;
  • Direcção Espiritual mensal;
  • Lectio Divina e partilha de Vivência da palavra de Deus;
  • Valorização da oração pessoal;
  • Adoração Eucarística;
  • Recitação integral da Liturgia das Horas, tanto na vida do seminário como em outro ambientes;
  • Valorização dos tempos Litúrgicos;
  • Leituras Espirituais;
  • Oração como os Padres da Paoquia onde se faz pastoral;
  • Dar o dízimo como meio de cultivar o gesto de partilha;
  • Leituras dos Santos Padres e dos documentos Eclesiais;
  • Avaliação diária da vivência da palavra, concretizando o ideal do seminário de ser verdadeira     Escola do Evangelho;
  • Vivência dos Sacramentos e de toda a Liturgia, o que exige fidelidade aos Horários de oração de      manhã, do Meio-dia e da Tarde, bem como a participação diária na Santa Missa;
  • Cultiva dos Exame de Conciência e celebração frequente do Sacramento da penitência;
  • Valorização dos exercícios de piedade Cristã: Visita ao Santíssimo Sacramento, Terço Mariano,      Via-Sacra, Vigílias, manhãs e Tarde de Oração e outros;

 

Cultiva de uma ascece interior, dando especial atenção àqueles atitudes e virtudes apreciadas pelo nosso povo, de modo que o Seminarista se prepare para ser uma Padre simples, preparado, profundo, humilde, acolhedor e fraterno.