Únio Diocesano

UNIO DO CLERO DIOCESE DE DILI

 

Natureza e Finalidade

Artigo 1

Nome e Sede

  1. Esta associação denomina-se “ UNIO DO CLERO DIOCESANO DE DILI”, adiante designada por “Unio Clero Dili”(UCD), ou simplesmente “ Unio”.
  2. A Unio tem Sede em Dili, a capital de Timor-Leste.

 

Artigo 2

Natureza

          A Unio Clero Dili é uma associação de clérigo seculars, fundamentada jurídicamente no Cân. 278 do Código de Direito Canônico, como um lugar de encontro, de oração, de formação e de socialização para juntos perseguirem finalidades consentâneas como o estado clerical, que o tornam capazes de server melhor a Igreja, na fidelidade a sua vocação sacerdotal e na obidiência ao seu Bispo Diocesano.

 

Artigo 3

Finalidades

          Pela sua constituição, a Unio visa fundamentalmente promover a Espiritualidade própria dos sacerdotes seculars e favorecer a unidade entre eles e com o próprio Bispo, a norma do Cân. 278 §2, estando atendos as aspirações e necessidades dos membros e reflectindo-as em sintonia com a vontade de Deus, o magistério da Igreja, os “sinais dos tempos” e a voz da Igreja Particular.

 

Visão e Missão

Artigo 4

Visão

          A visão da Unio é a de um modelo declero os sacerdotes seculars, movidos pela liberdade pessoal responsável de exercerem o seu direito de associação, e realize como <<homens de Deus>> entre os homens e para os homens, assumindo o seu ministério pastoral como <<mission ecclesiae>>, que reclama de ser fielmente cumproda na Igreja, com a Igreja e pela Igreja.

 

Artigo 5

Missão

          A Unio enquanto associação clerical encara a missão de encarnar, realçar e fortificar por meio de variadadas formas de ajuda recíproca, não só espirituais mas também matereiais, so laços de fraternidade e solidaderidade sacerdotais, que derivam não da carne nem di sangue, mas unicamente da grace sacramental da Ordem.

 

Activiadades da Unio

Artigo 6

Activiades Integradas

          A Unio clero Dili organiza e leva a cabo as actividades integradas que se destinam tanto à solidificação do ministério sacerdotal enquanto fonte de santificação como ao increment da fraternidade sacerdotal enquanto element principal na vida do sacerdote.

 

Artigo 7

Actividades específicas

          Enquanto associação típicamente sacerdotal, a Unio é chamada a desemvolver actividades de character Espiritual, formativo, recreativo e humano, enquanto esforço adicional aos programas de <<formação permanete>> do clero diocesano já em acção na Diocese.

 

Composição da Unio

Artigo 8

Membros

  1. São membros da Unio, os clérigos seculars incardinados na Diocese de Dili que reflitam, na medida do possivel, as diferentes faixas etárias, os diversos ministérios e as várias zonas pastorais da Diocese, independentemente dos encargos eclesiásticos a quem foram comfiados pelo Bispo diocesano;
  1. Podem também fazer parte da Unio, outros sacerdotes seculars e nãi incardinados na Diocese, que exercem algum ofício em favor da Diocese ou que também domicílio ouquasi-domicílio na Diocese, ambos designados pos <<membros honorários>>.

 

Artigo 9

Inscrição formal

          Para que um sacerdote secular seja membro pleno da Unio, nos termos do artigo 8, exige-se que o interessado manifeste formalmente a sua livre adesão, mediante a inscrição, junto ao Corpo Directivo que assume a responsabilidade de pôr em acto todos od assuntos pertinentes ao exercício dos deveres e direitos dos membros.

 

Artigo 10

Deveres e Direitor dos membros

  1. Todos os membros da Unio têm o dever:
  • De observer rigorosamente os Estatutos;
  • De salvaguarda conciente e responsavelmente a boa fama do associação;
  • De desemvolver active e ficazmente a associação;
  • De apoiar economicaamente a associação em prol do seu funcionamento.
  1. Todos os membros da Unio têm o direito:
  • De voto active e passive, para elegar e serem eleitos;
  • De participar na assembleia plenária e nas reuniões;
  • De receber da associação ajudas e apoios necessaries em situação dificeis.

 

Artigo 11

Cessação dos membros

A titularidade de membros da Unio cessa:

  1. Por morte;
  2. Por livre resignação através de um acto formal apresentando ao Secretariado;
  3. Por inactividade prolongada no cumprimento dos próprios deveres mediante a notificação feita pelo Coordenador geral, ouvido o parecer do Corpo Directivo.