shadow
Diocese de Dili > NOTÍCIAS > Notícias > MENSAGEM SANTO PADRE FRANCISCO BA CELEBRAÇÃO LORON MUNDIAL PAZ NIAN BA DALA 51º 1° DE JANEIRO DE 2018

MENSAGEM SANTO PADRE FRANCISCO BA CELEBRAÇÃO LORON MUNDIAL PAZ NIAN BA DALA 51º 1° DE JANEIRO DE 2018

Adapta ba lia tetun husi Mário de Oliveira Pires

 

Migrantes no refugiados: mane no feto nebé buka paz

1. Votos paz nian

Paz ba ema hotu no ba nações rai klaran tomak ! Paz, nebé anjo sira fo sai ba bibi atan sira iha Natal kalan,[1] mak aspiração ida nebé klean husi ema hotu no povo sira hotu, sobretudo husi sira nebé padece duramente liu ba sira ninia falta. Husi sira ne’e, nebé ha’u lori mai iha ha’u nia pensamentos no iha ha’u ninia oração, ha’u hakarak atu fo hanoin dala ida tan kona ba migrantes nain rihun 250 milhões iha mundo, husi sira ne’e ema nain rihun 22 ho balun mak refugiados. Sira nebé temi ikus, hanesan mos ha’u ninia amado predecessor Bento XVI afirma, «mesak mane no feto, labarik sira, jovens no idosos nebé buka fatin ida nebé sira bele moris hakmatek ».[2] No, atu hetan fatin hakmatek, barak husi sira mak pronto atu oferece sira ninia moris iha viagem ida nebé revela, parte boot husi caso sira, dook no perigosa, sai sujeito ba fadigas no sofrimentos, atu enfrenta arames farpados no muros teni netik hodi hadook liutan objetivo sira. Ho espírito misericórdia nian, ita hakuak sira hotu nebé halai husi funu no husi hamlaha ou sira nebé haré mai tamba constrangidos atu husi sira nia rasik tamba discriminações, perseguições, kiak no degradação ambiental. Ita hotu precisa cientes hodi laos deit loke ita ninia fuan ba sofrimento maun sira nian. Iha ema barak nebé antes ne’e halo barak liu ba maun alin no bin feton sira hodi fila fali ba moris iha uma nebé hakmatek. Halibur ema seluk sai compromisso concreto ida, corrente de apoios no beneficência, atenção vigilante ida no abrangente, gestão responsável husi situações foun nebé complexas hodi dala barak mai hamutuk ho problemas seluk nebé existentes iha número nebé boot, hanesan mos recursos nebé mak sempre limitados. Pratica dadaun virtude prudência nian, governantes sei hatene atu halibur, promove, protege no integra, estabelece dadaun medidas práticas, «iha limites consentidos husi comunidade rasik  ninia diak nebé  entendido tiha kedas, [ba] sira sei favorece duni integração»[3]. Governantes tomak iha duni responsabilidade ida nebé precisa duni ho comunidades rasik, precisa assegura sira ninia direitos nebé loloos no desenvolvimento harmónico, atu lasai hanesan construtor insensato nebé halo sala ho cálculos no labele completa torre nebé hahu atu harii.[4]

 

2. Tamba sa mak iha refugiados no migrantes nebé barak ?

Iha mensagem idêntica ocorrência iha Tinan Jubileu Boot  2000 nian; anúncio paz nian husi anjos iha Belém, São João Paulo II inclui ona número crescente husi refugiados entre efeitos husi «sequência nebé infinda no horrenda husi funu, conflitos, genocídios, “limpezas étnicas”»[5] nebé carateriza ona iha século XX. No too agora, infelizmente, século foun nebé laregista ona viragem ida nebé loloos: conflitos armados no formas husi violência organizada foun sira seluk nebé continua provoca deslocações populações lubuk  iha interior husi fronteiras nacionais no ba dook tan sira ne’e. Hirak ne’e hotu ema sira halai tamba mos razões seluk, uluk liu tamba sira «iha  desejo atu hetan moris ida diak liu, dala barak liu unido ho intenção katak husik tiha “desespero” nebé mak  impossível atu harii futuro».[6] ema hirak ne’e sai ba hamutuk ho sira ninia familia rasik, atu hetan oportunidades de trabalho ou de instrução: se mak labele goza husi direitos hirak ne’e, labele moris iha paz. Além ida ne’e, hanesan ha’u sublinha ona iha Encíclica Laudato si’, «ne’e mak trágico liu tamba aumento husi migrantes tamba halai husi miséria agravada tamba degradação ambiental».[7]  Maioria nebé migra hakat tuir percurso nebé legal, maibé iha seluk mak foti dalan seluk, sobretudo tamba desespero, uainhira pátria labele oferece ba sira segurança nem oportunidades, no dalan legais hotu parece impraticáveis, bloqueadas ou neneik liu. Iha países barak nebé hakarak ba, generaliza liu ho retórica ida nebé luan hodi enfatiza riscos hotu ba segurança nacional ou  peso husi acolhimento ba sira nebé foin mak too mai, despreza dadaun dignidade humana nebé mak precisa liu-liu atu reconhece ema hotu, enquanto sira ne’e hotu mesak Maromak nia oan mane no oan feto. Se mak fomenta tauk contra  migrantes, talvez ho fins políticos, em vez de construi paz, kari dadaun violência, discriminação racial no xenofobia, nebé sai fonte husi preocupação boot ba sira hirak ho hirus matan hetan tutela ba seres humanos tomak.[8]

Elementos tomak nebé mak ho disposição comunidade internacional nian indica ona katak migrações globais sei continua marca iha ita ninia futuro. Balun considera hanesan ameaça ida. Ha’u, pelo contrário, convida itaboot ho hateke nebé repleto confiança, hanesan oportunidade atu harii futuro paz nian ida.

 

3. Ho hateke nebé contemplativo

Sabedoria husi fé nian nutre hateke ida ne’e, diak tebes atu intui katak ema hotu pertence ba ita « família ida deit, migrantes no populações locais nebe simu, no ema hotu iha direito hanesan hodi haksolok ho bens rai ne’e nian, nebé sai  destino universal ida, hanesan doutrina social Igreja nian hanorin. Iha ne’e hasoru fundamento ba solidariedade no ba partilha».[9] liafuan hirak ne’e propõem mai ita imagem husi Jerusalém foun. Livro profeta Isaías nian (cap. 60) no, tuir kedas mai, Apocalipse nian iha (cap. 21) descreve oinsa cidade ida ho odamatan sira nakloke, hodi husik ema hotu husi nações tomak, nebé admira no enche riquezas tomak. Paz mak buat ida soberano hodi hatudu dalan, no justiça mak princípio nebé governa convivência sira nian. Ita mos precisa lança ida ne’e, nune’e mos ho cidade nebé ita moris ba, ho hateke contemplativo ida ne’e, «ne’e katak, hateke ida husi fiar nebé bele descobre iha Maromak nebé hela hamutuk iha sira ninia uma, iha sira ninia bairro, iha sira ninia praças (…), promove dadaun solidariedade, fraternidade, desejo ba buat diak, verdade, justiça»,[10] ho liafuan seluk, realiza dadaun promessa paz nian. Hametin dadaun iha migrantes no refugiados, hateke ida ne’e; nebé mak bele hatene descobre saida mak sira seidauk too ba ho liman mamuk: lori bagagem feita ida ho coragem, capacidades, energias no aspirações, para além husi tesouros culturas nativas nian, no husi lalaok ida ne’e bele enriquece vida nações hirak nebé halibur.  Sei hatene didiak mos atu hafolin criatividade, tenacidade no espírito sacrifício nian husi ema uain ba uain, famílias no comunidades nebé, iha parte sira mundo nian, loke odamatan no fuan ba migrantes no refugiados, inclusive iha nebé laiha liu recurso sira. Hateke contemplativo ida ne’e, sei hatene duni, iha ikus mai, hatudu dalan discernimento nian ba responsáveis governamentais, husi modo ida katak atu hadia políticas de acolhimento too ba máximo husi «limites consentidos husi bem comunidade nian rasik nebé retamente entendido»,[11] ne’e katak, foti dadaun consideração ba exigências husi membros tomak nebé única família humana nian iha no bem husi cada ema ida husi sira. Se mak sei nafatin animado ho hateke ida ne’e; sei diak tebes atu reconhece paz ninia existencia nebé naksulin no sei cuida didiak ninia crescimento. Sei transforma nune’e iha canteiros paz nian iha ita ninia cidades, frequentemente divididas no polarizadas husi conflitos nebé sei refere precisamente ba presença migrantes no refugiados nian.

 

4. Fatuk miliárias haat ba ação

Oferece requerentes de asilo, refugiados, migrantes no vítimas de tráfico humano hanesan possibilidade hodi hetan paz ida ba sira nebé lao buka, exige estratégia nebé sei combina ho ações haat : simu, protege, promove no integra.[12]

«Simu» halo apelo ba exigência hodi haluan possibilidades de entrada legal, hodi labele teri netik refugiados no migrantes ba fatin sira nebé hamosu fali perseguições no violências, no equilibra preocupação ho segurança nacional iha tutela husi direitos humanos fundamentais. Sagrada Escritura mos fo hanoin: «no hanoin atu simu ema lao rai ho laran diak, basá hodi halo nune’e ema balun simu tiha anjo sira ».[13]

«Protege» hanoin fali dever hodi reconhece no tutela ba dignidade inviolável husi sira nebé halai husi perigo real hodi buka asilo no segurança, hodi impede ninia exploração. Ha’u husu ho modo particular iha feto sira no iha labarik sira nebé sei hasoru iha situações nebé mak expostas liu ba  riscos no ba abusos nebé too ba iha ponto balun hodi sai atan. Maromak la discrimina: «Nai protege sira nebé moris iha rai seluk no nakonu ho oan kiak no feto faluk».[14] «Promove» harahun apoio desenvolvimento humano integral de migrantes no refugiados. Husi instrumentos bar-barak nebé bele ajuda tarefa ida ne’e, desejo hodi sublinha importância  nebé bele assegura labarik sira no jovens hodi acesso ba níveis de instrução tomak : husi lalaok ida ne’e sei bele laos deit cultiva no haburas diak liutan sira ninia capacidades, maibé sei moris ho condições nebé diak atu ba hasoru ho sira seluk, haburas dadaun espírito de diálogo ida no labele taka an no conflito. Bíblia hanorin katak Maromak «hadomi ema lao rai, fo han no fo hatais»; husi ne’e mak exortação ida nebé dehan : «sei hadomi ema lao rai, tamba ó sei sai ema lari iha rai Egito».[15] Ikus liu mak, «integra» significa permite atu refugiados no migrantes participa plenamente iha vida sociedade nian ho sira nebé halibur, iha situação ida nebé dinâmica no mútuo iha enriquecimento no fecunda colaboração iha promoção ba desenvolvimento humano integral comunidades locais nian. «Tamba ne’e – hanesan São Paulo hakerek – ne’e duni imi laos tan malae eh ema lao rai; imi rai nain hanesan santo sira hotu, no imi emar iha Maromak nia uma laran».[16]

 

5. Proposta ida ba Pactos internacionais rua

Husi fuan nebé klean, ho espírito ida nebé anima processo, iha decurso de 2018, sei lori definição no aprovação husi parte Nações Unidas nian husi pactos globais rua : ida ba migrações nia hakmatek, ordenadas no regulares, sira seluk refere ba refugiados. Enquanto acordos nebé  partilhados ba nível global, pactos hirak ne’e sei representa quadro de referência ba propostas políticas no medidas práticas. Tamba ne’e, importante tebes katak sei inspira husi sentimentos compaixão nian, clarividência no coragem, ho lalaok ida katak bele aproveita ocasiões tomak hodi  hafoun liutan construção paz nian : hanesan ne’e deit mak necessário realismo husi política internacional sei lasai deit capitulação ba cinismo no ba globalização husi indiferença. De facto, diálogo no coordenação constitui duni necessidade ida no dever próprio husi comunidade internacional. Liutan ida ne’e husi fronteiras nacionais, mak possível mos atu países menos ricos bele halibur número maior de refugiados ou halibur didiak sira, se cooperação internacional bele disponibiliza ba sira fundos necessários. Secção Migrantes no Refugiados husi  Dicastério ba Serviço Desenvolvimento Humano Integral nian sugere ona  pontos de ação hamutuk 20 [17] hanesan pistas concretas ba implementação husi supramencionados ba verbos haat iha políticas públicas nomos iha conduta no ação husi comunidades cristãs. Ne’e hotu no contribuições seluk sei pretende atu expressa interesse husi Igreja Católica nian liuhusi  processo nebé sei lori ba adoção husi referidos pactos globais Nações Unidas nian. Interesse ida nebé sei confirma dala ida tan solicitude pastoral nebé moris ho Igreja no sei continua iha ninia obras too ba ita ninia tempo.

 

6. Iha prol husi ita ninia uma comum

Inspira ita ho liafuan São João Paulo II nian: «Se “mehi” hodi hetan mundo ida iha paz nebé mak partilha husi ema oi-oin, sei valoriza contributo husi migrantes no refugiados, humanidade bele sai bebeik família ida ba ema hotu no ba ita ninia rai real “uma comum”».[18] iha tempo naruk iha história, ema barak nebé fiar iha «mehi ida ne’e» no ninia realizações bele sai sasin nebé mak sei la trata iha utopia irrealizável.

Entre sira sura kedas ho Santa Francisca Xavier Cabrini, nebé mak celebra centenário nascimento ba Lalehan nebé halao iha 2017. Loron ohin, loron 13 de novembro, comunidades eclesiais barak mak celebra nia memória. Feto ki’ik oan nebé ho naran boot, nebé consagra ona ninia moris ba serviço migrantes nian hodi ikus mai sai ninia Padroeira celeste, hanorin ita oinsa ita bele simu, protege, promove no integra ita nia maun alin no bin feton sira. Husi ninia harohan daet, nebé Nai sei conceda ba ema hotu hodi halo experiência katak «fuan husi justiça nebé mak kari ona iha paz husi sira nebé mak pratica  paz».[19]

 

Vaticano, 13 de Novembro 2017

 – Memória de Santa Francisca Xavier Cabrini, Padroeira dos migrantes

– de 2017.

Franciscus

Referencias

[1] Cf. Evangelho de Lucas 2, 14.

[2] Alocução do Angelus (15/I/2012)

[3] João XXIII, Carta enc. Pacem in terris, 106.

[4] Cf. Evangelho de Lucas 14, 28-30.

[5] Mensagem para o Dia Mundial da Paz de 2000, 3.

[6] Bento XVI, Mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado de 2013.

[7] N.º 25.5

[8] Cf. Francisco, Discurso aos Diretores nacionais da Pastoral dos Migrantes, participantes no

Encontro promovido pelo Conselho das Conferências Episcopais da Europa (22/IX/2017).

[9] Bento XVI, Mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado de 2011.

[10] Francisco, Exort. ap. Evangelii gaudium, 71

[11] João XXIII, Carta enc. Pacem in terris, 106

[12] Francisco, Mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado de 2018,

(15/VIII/2017).

[13] Carta aos Hebreus 13, 2.

[14] Salmo 146, 9.

[15] Livro do Deuteronómio 10, 18-19.

[16] Carta aos Efésios 2, 19.

[17] «20 Pontos de Ação Pastoral» e «20 Pontos de Ação para os Pactos Globais» (2017). Cf. também Documento ONU A/72/528.

[18] Mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado de 2004, 6.

[19] Carta de Tiago 3, 18.

© Copyright – Libreria Editrice Vaticana

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *