shadow
Diocese de Dili > NOTÍCIAS > OPINIÃO > Igreja Católica no Política : Leitura Interpretativa

Igreja Católica no Política : Leitura Interpretativa

WALDIMIRO AFONSO VIANA

Estudante teologia iha Instituto de Filosofia e de Teologia –ISFIT Dom Jaime Garcia Goulart,

no Seminarista iha Seminário Maior São Pedro no São Paulo Fatumeta, Dili.

oras ne’e estuda iha Pontificio Universidade Urbaniana, Roma

 

 

Introdução

Tensão política rai-laran sa’e aás uitoan no alvo ba insatisfação ema balun nian, la’os hatudu de’it ba governante, membro parlamento, ka político sira, maibé dirige mós ba servidor Igreja Católica nian: bispo, padre no religioso/a sira. Razão ne’e lori ha’u atu reflete konaba relação entre «clero no política» hodi liga ho opinião nebé lança iha Media Social. Ne’e nudar reflexão pessoal ida atu su’ut hikas Igreja Católica Timor ninia papel iha política rai-laran nudar «defesa dos indefesos». Oinsá bispo, padre religioso/a sira mete [koalia, hakerek no halo] política nudar defensor do povo maske sira la’os representante do povo.

 

Igreja Católica Nia Papel  iha História Timor nian

«Holanda ataque Solor (1613) missionário hadau fali iha 1629, Holanda ocupa hodi bi’it 1637. Missionário obrigatório muda ba hela iha Larantuka. Larantuka sai centro ba evangelização no defesa. Holanda hadau Malaka (1614), Muçulmano Makassar, aleado Holanda nian ataca Larantuka no Mena (1614), Missionário sai comandante iha batalha. Cupão monu ba Holanda (1652) e Lifau sai estabelecimento no centro ba evangelização no defesa». História da Igreja em Timor, Pe. Francisco PINHEIRO, Especializado iha História da Igreja, docente iha ISFIT-Fatumeta, Dili. (SEARA DIOCESE DILI, 20.08.2015).

Ita haré housi texto história badak ne’e, Igreja Católica nia papel iha história política Timor nian, hahú kedas ona desde colonial Português no Holanda tau sira nia ain iha continente Ásia, hahú kedas ho missionário sira. Ne’e hatudu mo-mós katak Igreja Católica nia papel iha política fo identidade ba rai ida ne’e. Missionário sai comandante batalha hodi defende ilha Timor, Flores, Larantuka no Solor. Governo Português seidauk hanoin halo Timor sai colónia ida. Significa relação entre Timor no Portugal mak relação comercial. Ba Igreja Católica, Timor nudar Rai Missão. Missionário sira iha poder político no poder espiritual. Defende Rai Missão no haklaken evangelho. Separação poder foin mosu wainhira António Coelho Guereilho hahú governo (1702) no missionário sira concentra ba educação (lê no hakerek). Maibé ho diminuição missionário (1811), tamba reforma Marquês de Pombal no expulsão ba jesuíta sira no religioso sira seluk (1759), governo tama iha situação difícil, Atapupo (1818) depois Pantar monu ba Holanda nia liman, movimento liberalismo expulsa tan religioso dominicano sira husi missão Timor (1834), no Governador Lopes de Lima, entrega Flores, Larantuka, Solor ba Holanda hodi troca Maubara (1834-1874). Igreja Católica iha tiha ona papel importante ba rai ida ne’e, la’os de’it iha evangelização, hodi halo Timor sai maioria católica maibé, iha mós política, tan missionário sira  defende povo Timor. Sira comanda batalha halo defesa ba ataque maibé, Governador Lopes de Lima entrega tiha Flores, Larantuka, Solor ba Holanda.      

Iha tempo resistência 1975-1999: bispo, padre, religioso/a iha nafatin papel importante ba política luta ba libertação nacional. Padre sira executa ordem, fo an ba clandestina, facilita encontro no subar Maun Bo’ot sira. Bispo sira koalia maka’as hasoru crueldade militar sira Indonésia nian. Clero sira nia papel iha política contribui ba rai ida ne’e. Nune’e Preâmbulo Constituição RDTL afirma: “[…] a Igreja Católica em Timor-Leste sempre soube assumir com dignidade o sofrimento de todo o Povo, colocando-se ao seu lado na defesa dos seus mais elementares direitos”. Igreja Católica iha Timor-Leste hatene simu ho dignidade sofrimento tomak Povo nian no sempre sai defesa ba povo nia direito elementar. Tansá ita hakfodak ho bispo sira nia opiniões políticas? Tansá ita hakfodak wainhira padre sira koalia no hakerek konaba política? Ida ne’e contribui ba literatura Timor nian. Iha Constituição RDTL artigo 11o. alinea 2 dehan: “O Estado reconhece e valoriza a participação da Igreja Católica no processo de libertação nacional de Timor-Leste”. Igreja Católica ninia participação iha libertação nacional ne’e, la’os de’it mak koalia no hakerek konaba política maibé halo política, nebé atu contra injustiça iha aspeto  hotu, iha povo nia moris no sai defesa ba povo. Igreja nia política mak defende no salva povo. Luta ba bem comum, antes no depois de ukun rasik an. Ukun rasik an  nebé ema hotu sente ona maibé, balun de’it mak sei goza. Povo hakdasak iha rai, ninia representante semo iha lalehan. Povo uza Angguna dehan estrada aat, ninia representante uza prado dehan estrada diak.  

 

Clero no Política: entre bele no labele

«Ohin loron bispo no padre sira hotu tama no hatama kanuru tohar ba politika hotu. Diocese ida ne’e defende grupu politika ida ne’e, diocese ida seluk defende grupu seluk mós». (Facebook, 04.01. 2018; 16:46).

Ne’e mak lamentação ida iha wall facebook nebé questiona konaba «clero no política». Ema sê mak hakerek (post), mai ha’u la importante atu elabora, importante mak argumento nebé nia hato’o. Basá, ita nia ponto ba reflexão mak: «dehan saída» la’os «sê mak dehan».

Lei Igreja Católica nian, Codex Iuris Canonici (CIC) –promulga iha 27 novembro 1983– cânone 287, hakerek nune’e:

  • 1 Os clérigos […]
  • 2 Não tomem parte ativa em partidos políticos ou na direção de associações sindicais, a não ser que, a juízo da autoridade ecclesiática competente, o exija a defesa dos direitos da Igreja ou a promoção do bem comum.

Cânone 287 ne’e, koalia konaba clero (bispo, padre) no política. Saida mak política? Ha’u prefere hahú ho etimologia. Liafuan ne’e mai husi língua grega, politiche composto husi polis (cidade/Estado) no tiche (husi techne katak arte/ciência). Nune’e política katak arte/ciência atu governa cidade/Estado. Nudar ciência, clero sira mós estuda política no balun hasai especialidade. Nune’e sira la delek konaba política, sira mós hatene lala’ok política nian, organização, sistema, funcionamento, lei nst. Sira hatene sistema governação: democracia (povo mak ukun), monarquia (Ida mak ukun), oligarquia (Balun mak ukun), tirania (Kro’at mak ukun) nst.

Iha rai doben Timor-Leste, ita adopta democracia (demos: povo no cratos: ukun) significa povo mak ukun. Ukun oinsá? Ukun liu-husi ninia representante sira iha Parlamento Nacional, nebé iha poder atu controla Governo. Povo mak hili representante sira ne’e liu-husi eleição. Maibé Presidente mak sei hili Primeiro Ministro (Chefe Governo) husi partido mais votado ou aliança partido nebé maioria parlamentar (CRDTL art. 106o. alinea 1). Citação ne’e, atu hatudu de’it katak ema sê mak hakarak ukun, sei hola parte iha partido político. Iha buat rua diversa: Política nudar ciência no Partido Político nudar instrumento. No wainhira ita liga clero no política, buat nebé Lei Uma Kreda bandu mak: clero sira labele hola parte ativa iha partido político. Labele sai membro ativo iha partido. Labele hola parte iha partido atu nune’e partido manán, nia hetan posição. Ne’e mak Igreja bandu. Se clero halo política hadau poder no hetan posição, ne’e mak Uma Kreda hakahik.

Timor-Leste la adopta tirania nebé limita povo nia participação iha política maibé, adopta democracia. No democracia fo biban ba cidadão hotu (inclui clero sira) atu hato’o ninia opinião no [bele] mós clero sira hato’o povo nia aspiração. Tansá? Tamba clero besik liu, hela iha povo nia le’et, hamutuk ho sira no  rona liu povo nia lia halerik iha no ba tempo hotu.  Diferente ho representante nebé fim de semana mak ho prado halai liu husi povo nia uma oin, depois dehan estrada diak. Clero la precisa tara batina atu halo política no koalia política. Clero mós la persisa tara batina atu tutan povo nia lian nebé la lian, hanesan membro do Parlamento Nacional sira halo, basá tur iha Parlamento Nacional la significa [belum tentu] sai representante povo sepenuh-nya.

Clero sira sei moris hela iha rai, seidauk ba lalehan. Sira moris iha mundo, sai cidadão iha nação ida, pertence ba rai ida. Significa iha direito hanesan mós cidadão sira seluk. Raro! Maibé ita atento karik, liafuan iha cânone 287 hakerek mós («a não ser que, a juízo da autoridade ecclesiástica competente…»). Significa clero bele hola parte ativa iha política wainhira hetan autorização atu defende Igreja nia direito no promove bem comum. Clero bele halo política maibé, la’os [labele] atu hadau poder no hetan posição. Basá clero nia knaar la’os atu governa Estado maibé, administra Sacramento nst. Nune’e conclusão mak: clero bele halo política, enquanto defende Igreja nia direito no promove bem comum. Clero labele halo política enquanto atu hadau poder no hetan posição.

 

Igreja Católica: Política Plinplan?

«Relijiozu lalika halo politika plin plan, uluk halo buat ida ohin halo buat seluk. 2005 demonstrasaun iha Dili halo hasoru governu tanba governu hasai materia relijiaun moral iha eskola». (Facebook, 04.01. 2018; 16:46).

Husi lamentação ne’e, iha mós liafuan interessante atu elabora. Ne’e mak «política plinplan». Iha parte ida, lakohi atu bispo no padre sira mete política, maibé iha parte seluk, reconhece [bele] mete política maibé labele plinplan. Liafuan («plinplan») ne’e habadak husi língua indonésia: plintat-plintut; refere ba «hanoin, decisão ou atitude sira nebé laiha firmeza». Ninia conotação negativa. Saída mak sai fundamento? Demonstração 2005 – maibé ha’u prefere uza manifestação. Igreja Católica halo manifestação dame hasoru Governo Fretilin atu defende confissão religiosa sira hotu ninia direito. Manifestação atu halo «defesa dos direitos da Igreja» (cfr. cân 287). Bispo, padre, religioso/a no fiar-na’in católico sira defende ema-fiar na’in hotu (protestante no muçulmano) nia direito atu hetan «Educação Fiar no Moral obrigatória iha Ensino Público» (cfr. Nota Pastoral dos Bispos Católicos de Timor-Leste sobre o Ensino da Religião nas Escolas Públicas, Dili, 17.02.2005).

Importante atu hanoin katak manifestação 2005 ne’e, Igreja Católica halo, la’os tamba anti-Fretilin, ou pro-oposição, ou pro-partido seluk, la’os mós anti-Islam, ou anti-Alkatiri. Maibé atu mós promove bem comum (cfr. cân 287). Necessário tebes atu hanorin fiar no moral iha Escola Pública sira – no Católica mós, tamba atu hatoman cidadão sira moris iha honestidade, solidariedade, prudência, justiça nst. Honesto iha serviço. Solidário ho belun. Hadomi ambiente. Respeita ema seluk nia direito. La foti sasán arbiru… La halo corrupção. La egoísta. La halo lei atu beneficia an rasik. Evita hahalok injustiça. Wainhira hanorin no hatoman cidadão ki’ik-oan sira ho hahalok diak, significa salva daudaun governante aat iha futuro. Atu labele monu ba tentação: «remata mandato, cumpre sentença». Hala’o knaar polícia no escolto konvoi ho cirene ba serviço-fatin provisório (kantor), maibé mandato remata, polícia no guarda konvoi ho cirene ba hela-fatin provisório (prisão).

 

Igreja Católica: Consciência Crítica ba Nação

«Sono certo che voi, con i sacerdoti, continuerete a svolgere la funzione di coscienza critica della nazione, mantenendo a tal fine la dovuta independenza dal potere politico in una collaborazione equidistante che lasci ad esso la resposabilitá di occuparsi del bene comune della società e di promuoverlo». Discorso del Santo Padre Francesco ai presuli della Conferenza Episcopale di Timor Est in Visita  AD LIMINA APOSTOLORUM, Roma, 17 marzo 2014.

Lós duni katak iha separação poder entre Estado no Igreja. Instituição rua diferente. Maibé separação la significa laiha colaboração. Konaba relação rua (Comunidade Política no Igreja Católica) iha documento Concílio Vaticano II, Gaudium et Spes no. 73-76 explica claro konaba independência, autonomia no cooperação. Maibé iha ne’e, ha’u cita de’it discurso Papa Francisco nian ba Bispo Conferência Episcopal Timorense. Iha mensagem Santo Padre uza verbo «Continuare», terceira pessoa plural, futuro. Nia tenik: «Voi, con i sacerdoti, continuerete a svolgere la funzione di coscienza critica della nazione…». Se Papa Francisco uza verbo («continuare») ne’e la’os asal-asalan, ha’u hanoin, ha’u hetan razão atu explica, tansá uza verbo («continuare») no la’os («cominciare»). Verbo rua ninia uzo diverso: «cominciare» indica buat ruma nebé «foin hahú», enquanto «continuare» significa «hatutan» buat nebé hahú tiha ona. Papa Francisco hatene katak Igreja Católica iha Timor-Leste sai tiha ona consciência crítica ba nação desde hahú, tan ne’e, nia tatoli atu continua buat nebé imi halo tiha ona. Sai consciência crítica la significa sai oposição, contra Estado sem razão, lae! La significa husik responsabilidade, lae! Lakohi colabora, lae! Maibé significa sai nudar «Lia» ida nebé koalia beibeik no koalia nafatin. Significa sai nudar «alarme» atu fo hanoin no bolu atenção ba perigo ruma. Nune’e Igreja Católica coopera wainhira política hatur iha princípio subsidiariedade, justiça social, bem comum no colabora wainhira promove dame, domin, unidade no liberdade.

 

Conclusão

Igreja Católica ninia missão la’os halo política, maibé nia iha knaar profética. Nia iha dever atu koalia no fo hanoin, sei la impõe. Nudar Papa Francisco nia mensagem: «Imi (Bispo sira) no imi nia na’i-lulik sira continua sai consciência crítica ba nação». Refere ba Igreja nia knaar profética. Maibé hatudu mós ninia ser nudar Inan no Mestra. Nu’u Inan, nia fo hanoin beibeik; nu’u Mestra nia hanorin nafatin. Clero sira simu knaar la’os atu governa Estado maibé, serbí Maromak nia emar sira. Sai defesa dos indefesos, la’os sai representante do povo. Sira la precisa tara batina, ba tur iha PN atu representa povo maibé, iha sira nia-an, iha nação ida ne’e, sira mak cidadão balun entre cidadão lubun nebé ita hanaran Povo Timor. (*Estudante Instituto Superior de Filosofia e Teologia –ISFIT Dom Jaime Garcia Goulart Fatumeta, Dili, Timor-Leste. Oras ne’e, continua estudos Teológicos iha Pontificia Universidade Urbaniana, Roma).

 

Referência :

DOCUMENTO CONCÍLIO VATICANO II, Constituição Pastoral Gaudium et Spes konaba Igreja iha Mundo Atual (7 dezembro 1965); Codex Iuris Canonici –CIC (data promulgação 27 novembro 1983); CONSTITUIÇÃO DA RDTL (20 março 2002); Dom Alberto Ricardo DA SILVA e Dom Basílio do NASCIMENTO, Nota Pastoral dos Bispos Católicos de Timor-Leste sobre o Ensino da Religião nas Escolas Públicas, Dili, 17 fevereiro 2005 (forum-haksesuk.blogspot.it; up-load: 24 janeiro 2006); Discorso del Santo Padre Francesco ai presuli della Conferenza Episcopale di Timor Est in Visita  “AD LIMINA APOSTOLORUM”, Roma, 17 marzo 2014 (m.vatican.va); Pe. Francisco PINHEIRO, História da Igreja em Timor, Seara Diocese Dili (ainnomaia.blogspot.it; up-load: 20 agosto 2015).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *