shadow
Diocese de Dili > NOTÍCIAS > REFLEXÃO > «És Tu Aquele que há de vir ou devemos esperar outro?» III Domingo Advento, Tinan A

«És Tu Aquele que há de vir ou devemos esperar outro?» III Domingo Advento, Tinan A

Jesus respondeu-lhes:«Ide contar a João o que vedes e ouvis: os cegos veem, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a boa nova é anunciada aos pobres. E bem-aventurado aquele que não encontrar em Mim motivo de escândalo».

 

Caros irmão, João Batista no seu tempo era um que preparava o povo para a vinda do salvador mas ao mesmo tempo ele era um que esperava Messias. A sua pergunta feita a Jesus, era uma pergunta que surgiu da sua experiência como mensageiro de Deus que conhece a realidade da vida do povo de Deus. Uma vida dominada pelos pecados por isso ele queria confirmar se Jesus fosse messias para terminar com a situação do pecado. Se calhar esta situação sucita em João uma grande desilusão por isso ele mandou perguntar a Jesus para saber se ele fosse o Messias que ha de vir.  João esperava um Messias que viesse lançar fogo à terra, castigar os maus e os pecadores, dar início ao “juízo de Deus”, mas, ao contrário, Jesus aproximou-Se dos pecadores, dos marginais, dos impuros, estendeu-lhes a mão, mostrou-lhes o amor de Deus, ofereceu-lhes a salvação. Jesus é messias, salvador, não um ditador de mão ferro. Esta foi a resposta concreta que Jesus deu ao João Batista. Uma resposta que mostara o perdão, a misericordia e o amor infinito de Deus para com os pecadores. Deus vem salvar não condenar nem castigar. E portanto sim Ele é o Messias, o salvador. Em Jesus se manifesta em primeiro lugar a misericordia de Deus. Dai compreendemos a resposta de Jesus ao João Batista o qual disse “bem-aventurado aquele que não encontrar em Mim motivo de escândalo”. Escândalo significa obstáculo para eles. Por essa razão Jesus eliminou o único perigo que é, Se obstâculo a crer encontra na sua ação misericordia, isto significa nós criarmos uma imagem falsa de Messias, disse Papa Francisco.

Irmãos, nós somos povo de Deus que é santo mas ao mesmo tempo pecador como a doutrina da igreja nos ensina. Na experiência muitas vezes experimentamos o que João Batista experimentou. Nós também vivemos em duvida, dúvidamos muitas coisas e até duvidamos Deus e toda a sua ação salvífica feita a nós. De fato as vezes pensamos também que Deus deve agir segundo o que pensamos, o que queremos, o que esperamos. Quando é assim começamos já entrar na crise de fé, da esperança e do amor para com Deus e os nossos próximos porque Deus não exaudice os  nossos pedidos. Ao fazer assim comcerteza reduzimos Deus salvador ao nosso próprio desejos.

O advento nos chama atenção  desta nossa experiência e realidade, nos convida regressar a Deus, nos chama a ter mais confiaça em Deus, a viver mais intensamente na esperança e na alegria. Vamos viver assim porque como ouvimos na primeira leitura Deus verá fazer justiça em nós, ele verá salvar-nos. Salvar nos das nossas dúvida, das nossas doenças, dos nossos estres, das nossas incapacidades, etcetera. Concretamente encontramos a ação salvífica em Jesus Cristo e por Jesus Cristo como a sua resposta a João Batista os cegos vêm, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a boa nova é anunciada aos pobres.

No nosso contexto podemos dizer, os que fecham os olhos aos pobres e aos pequeninos abram os olhos e ajudem, os que faltam respeitos aos deficientes e aos velhos procuram respeitar e ajuda-los, os que não deram atenção e não sabem cuidar os doentes procurem dar mais atenção, cuidar e curar os doentes,  os que não oiçam os gritos e sofrimentos dos outros lhes ouiçam e ajudam, os que já não têm esperança para a vida encontrem de novo a esperança e a vida abundante, os que se afastam de Deus regressem a Deus. Deus assim realizara no meio de nós porque Ele vem ao nosso encontro, ele vem habitar no meio de nós.  São Tiago na segunda leitura nos disse para não ficar desesperado e perder fé com as dificuldades e obstáculos da vida que encontramos mas ele nos pede para esperar com paciência a vinda do Senhor. Sede pacientes e fortalecei os vossos corações, porque a vinda do senhor está próximo, a vinda dos senhor é certa.

Caros irmãos, a obra salvífica de Deus em nós não é um promessa, mas sim uma ação concreta que já foi realizada em nós, sera realizada e para sempre se realizara. A sua obra inicia em nós, não fora de nós. A sua ação salvadora leva nos de uma condição perder o direito de viver como filho de Deus a ser filhos de Deus. Portanto bem aventurado aquele que sabe acolher a salvação de Deus na sua vida. Amen.

 

Motael, III Domingo Advento, 15.12.19. Por: Pb.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *